sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

CONFESSO


                                 

                                      Apenas sou.
                                      Meu caminho traço
                                      no momento
                                      que me faz ir, sendo.

                                      Me encontro
                                      na triste condição
                                      do pseudo-poeta
                                      que não faz versos
                                      nem morre de amor.
                                      Porém,
                                      o sol está onde eu o ponho
                                      e colho amor
                                      se posso, hoje,
                                      amanhã talvez.

                                      Afinal, viver é fazer versos brancos
                                      e vôos coloridos
                                      por sobre os abismos.

                                                                Cristina Manga
                                                          (in "Pelos caminhos, só")


4 comentários :

  1. Querida Maninha
    Tenho gostado imensamente deste seu vigor e entusiasmo poético (o que para mim não é novidade, já que você sempre foi inspiradíssima. Quisera eu ter capacidade para por num papel só um terço da beleza das suas poesias - já ficaria feliz.
    Um beijo bem grande, com saudade, da sua Maninha.
    Nora R.C. - Rio - RJ - BR

    ResponderExcluir
  2. Belíssimo! Você me inspira a acreditar e sonhar sempre!
    Paulinha

    ResponderExcluir
  3. Que coisas boas de ouvir!
    Muito obrigada!

    ResponderExcluir