sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

QUANDO



                                Quando a vida finalmente me deixar
                                não quero conclusões
                                epitáfios
                                lembranças
                                sentimentos de culpa em ninguém.
                                Assumo a responsabilidade exclusiva
                                de todos a quem amei.

                                Assumo as culpas, as ausências,
                                todos os erros que por caminhos deixei.
                                Será o término sem conclusão
                                de tudo o que sonhei.

                                Contudo, todos foram amados.
                                Mesmo aqueles que nunca souberam,
                                os que não quiseram
                                e os que não entenderam
                                porque não sabiam amar.

                                Aos que pretenderam me fazer mal
                                um recado:
                                rezei sempre para que tivessem paz,
                                e pelo mal que conseguiram
                                culpo a mim mesma
                                por não ter sabido ignorar.

                                Aos meus filhos e netos o meu amor
                                e o meu cuidado sempre.
                                Mesmo ausente.

                                Ao meu Amor a certeza:
                                nunca caminhará só.
                                Vou estar em cada mar,
                                cada pássaro
                                em todas as flores dos caminhos
                                nas cores
                                nos silêncios
                                nas estrelas
                                no luar.

                                Onde olhar estarei lá,
                                nesse mundo que é só meu
                                e sonhei apenas para te dar.

                                                                Cristina Manga
                                                               (in "Recomeço")


2 comentários :

  1. Que Lindo!
    Tão você! =)
    Cada vez que releio seus poemas, eles me tocam de um jeito novo.
    Louco, né?
    Me fazem bem.
    Beijos da amiga Paulinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua declaração é a maior satisfação que um poeta pode ter!
      Muito obrigada!
      Abração

      Excluir