sábado, 11 de outubro de 2014

AH MEU PERNAMBUCO!



Ah meu Pernambuco! Renegas tuas fantásticas revoluções de 1817 e 1848 e entregas teus filhos nas mãos dos "novos" Cavalcanti...

                               "Quem viver em Pernambuco
                               não há de estar enganado:
                               Que, ou há de ser Cavalcanti,
                               ou há de ser cavalgado." (Quadra popular)

Ah Pernambuco! Tua bandeira criada na Praieira se vende aos donos do capital e dos embustes...

Ah meu Pernambuco! Nos vinte e cinco anos da minha vida que dei a ti, nunca vi traição maior do orgulho de ser nordestino. Se aliar a quem nada fez por ti! Se aliar a um grupo que despreza teus filhos e tudo que deseja é ter de volta um poder, que nem com vice pernambucano jamais investiu em vocês. Que tristeza Pernambuco. Fico pensando no teus valentes vaqueiros, nos canaviais e boias frias, que os que hoje te bajulam nunca se importaram como viviam!

Que vergonha meu Pernambuco, ver entregar teus filhos nas mãos de gente ruim, pelas mãos de quem jamais poderia trair teus sonhos. Estou triste Pernambuco.

Mas ainda assim acredito na força do teu povo de luta, ainda resta muito Pernambuco latejando verdadeira mudança. Estes honrarão os que agora te traem, em busca de um quinhão provável de poder.

Levante-se os homens e mulheres das roças! Ergam-se homens e mulheres cortadores de cana! De pé Pontos de Cultura da Praia de Itamaracá ao interior, espalhados por Cavalos Marinhos, Bumbas Meu Boi, Caboclinhos! Filhos do Lua, Cultura de Pernambuco que sabe o valor que tem, ergam-se e mantenham a dignidade que ninguém pode lhes roubar!

Salve o povo nordestino, salve o meu Pernambuco que já mostrou em quem quer confiar! Não será a alça de um caixão que nos fará baixar a cabeça! A mudança vocês já começaram e sabem bem! A mudança foi e é Dilma! E com ela vamos marchar outra vez!

                              Cristina Manga
                               (in Crônicas")


Nenhum comentário :

Postar um comentário