quinta-feira, 6 de outubro de 2016

CONDADO ELEIÇÕES 2016 REFLEXÕES NECESSÁRIAS





Primeiramente #ForaTemer e todos os golpistas

Vamos deixar claro algumas coisas. Quando falo de política não estou falando de pessoas e sim da vida. Da nossa vida. Do que vamos comer, pagar, do ônibus, dos recursos para cuidar da nossa saúde, da escola, da faculdade, do trânsito, dos recursos para as crianças, os velhos, os deficientes, e até dos barezinhos e dos restaurantes. Falar e pensar em política é pensar em todas as nossas necessidades e na nossa liberdade. Com certeza não é coisa pouca! Discutir “política” somente por nomes de candidatos é um erro fatal. Por essa razão discuto programas e não pessoas. A diferença entre um partido e outro nada mais é do que visões diferentes de como resolver/prover a todos nós dessas coisas que precisamos para viver.

Isto posto, vamos refletir sobre outras questões decorrentes desta última eleição.

Cada cidade é um caso a parte e necessário se faz pensá-las em separado e não cometer o erro de generalizar e enfiar tudo no mesmo saco. Lugares diferentes, necessidades diferentes, pessoas diferentes, histórias diferentes e consciências diferentes, óbvio.
As vezes o voto é de apoio a um candidato. As vezes é uma forma de votar contra um ou mais candidatos. Os motivos? Vários. 

Em Condado, por exemplo, o mais importante era impedir que uma pessoa nefasta e outros despreparados, chegassem ao poder de administrar a cidade. Ao contrário do que alguns vitoriosos pensam na sua euforia, a vitória não foi folgada. Apenas 652 votos em 19.908 votos apurados. O mais agravante, 3.776 (18,97%) de abstenções. Isso significa que as abstenções teriam ganhado as eleições. Significa, também, que a cidade está dividida. A grande vitória foi tirar da cena política a sombra de um ex prefeito nefasto e o fato da população realmente ir pra rua e tomar conta das ruas vigilantes para o cumprimento da lei eleitoral. Parabéns! Um exemplo de cidadania! Mas a eleição é o começo. Agora é que começa o exercício da cidadania vigilantes e participativos, cobrando do prefeito eleito e dos vereadores que façam o que foi proposto e a cidade precisa. Não da para voltar para casa, sentar-se confortável e pensar “agora é ele que vai fazer” e ficar esperando e/ou reclamando. Agora é organizar a sociedade civil em grêmios estudantis atuantes,unir agricultores, sindicatos, participar das reuniões da Câmara, fazer-se ouvir em coletivo. Antes, porém, saber bem qual a função dos eleitos, para não cobrar de uns, o que é responsabilidade de outros.

Um recado aos que perderam. Não insultem os vitoriosos. Não sejam tão prepotentes e arrogantes quanto aqueles que vocês criticam. Não venham me dizer que somente os que votaram em vocês são votos conscientes! Isto é uma vergonha. Um mi mi mi de perdedores. Se vocês não tiveram votos é hora de fazer uma autocrítica! Ter boas ideias não é sinônimo de bom plano de governo, muito menos de estar preparado para governar. Boas ideias para a cidade qualquer um pode ter. Saber como realizá-las, como prover os fundos necessários, como aplicar recursos é outra coisa bem diferente. Baixem a bola! Se preparem de fato com consistência, discurso bonito (ou supostamente bonito) qualquer um faz! Saber como fazer o que propõe, bem isso é para quem sabe de fato! Caiam na real e não continuem ofendendo quem não votou em vocês. #NósSomosConscientes exatamente por isso não votamos. #NãoSomosVendidos também!

Cristina Manga
03/Outubro/2016


Nenhum comentário :

Postar um comentário